Mito do dia: comida francesa é pra passar fome.

Sempre que falava que ia à Paris havia aqueles relatos apaixonados sobre a cidade. E havia os outros relatos, aqueles que dizem “os parisienses são super mal-educados, chatos, rudes” e “você vai passar fome em Paris, menina”. Não tratarei de desmentir que eles são mal-educados para padrões brasileiros. São, no mínimo, bastante impacientes, digamos assim. Ok, eu odiei como eles me tratavam. Pronto, falei! Mas não estou aqui para despejar todo o meu rancor sobre como fui tratada. O mito de hoje é o outro comentário que sempre ouvia – a comida (ou a falta dela)!

Engraçado que essa não era a muito minha nóia. Aliás, essa era uma das coisas que não me preocupava, se iria comer pouco. Talvez pelo fato de ser tão magra que alguns amigos me chamam (carinhosamente, dizem eles) de bode. Explico: bode = 45 kg e Camila = 47 kg. Enfim, não tenho a mente de gordo, então pouca comida pra mim tá super ok.

Quanto ao preço era dentro do que esperava. Não é super barato, mas é possível almoçar por uns 16 euros. É o que eles chamam de “Plat du Jour” ou fórmula.

Trocando em miúdos:

Plat du Jour = entrada + prato principal.

Ou

Plat du Jour = prato principal + sobremesa.

Essa refeição geralmente é servida no almoço (jantares costumam ser mais caros em Paris) e claro que não estou falando de restaurantes com chefs famosos, daqueles que você tem de marcar com meses de antecedência e pagar uma pequena fortuna. Pelo que pude sentir é o equivalente ao nosso PF de cada dia, servido em qualquer restaurantezinho. (Com o diferencial que “qualquer restaurantezinho” parisiense é numa esquina super charmosa, com aquelas mesinhas do lado de fora, num clima bem romântico. Ai, ai, Paris…)

O que me surpreendeu é que não é pouca comida, de jeito nenhum. Geralmente só comia o prato principal e já estava muito satisfeita. Mas como eu (=bode) não sou parâmetro, penso que para qualquer pessoa normal ficaria satisfeito com o tal plat du jour. Gente, é comida mais que suficiente.

Essa coisa de que comida francesa é pouquinho é coisa de quem pegou o bonde andando. Ou você se refere à alta cozinha francesa (Regra mundial da indústria do luxo: tem que ser pouco. Artigo de luxo, até mesmo comida, é para ser pouco. Nunca ouviu a máxima “menos é mais”?!) ou você só viu uma banda da refeição.

A gente tem de levar em conta que os hábitos alimentares deles são diferentes dos nossos. Uma refeição completa (há variações, claro) é: entrada + prato principal + sobremesa + queijos. Junta tudo isso e me diz se não dá pare encher teu “bucho”, como se diz aqui no Nordeste? Individualmente as porções são menores do que estamos acostumados, mas a refeição completa é muita comida! E eles geralmente comem a refeição completa.

Para provar minha tese, mostro algumas das minhas refeições em Paris. Reparem nos pratos.

Almoço pertinho da Madeleine. É uma espécie de carne cozida com cenouras e arroz. Também vinha bastante comida e meu namorado quase não aguenta comer (mais uma vez sem entrada ou sobremesa). Viu que não passa fome? =)

Massa com molho de champignon. O prato é bem fudinho. Se você pedisse esse prato no combinado “plat du jour” viria ainda uma entrada ou sobremesa. Para beber: vinho da casa. Tin-tin!

Agora, se você não quer morrer na mão dos garçons rudes que não te explicam os pratos e você vive um carrossel de emoções tentando adivinhar os pratos tem a possibilidade de outras comidinhas. São bem mais difíceis de serem encontradas, é verdade. Não é em todo recanto de Paris que há um mcDonalds, fofinho. Na linha mais fast food temos estes aqui:

Esse aqui não fazia parte do tradicional “plat du jour”, mas também não era um fast food. Servido em um restaurante de Saint-Denis. É bastante comida, né? Não gostei muito da carninha meio crua, mas pra quem gosta de carne mal passada tava bem servido.

As famosas baguetes francesas. O pão é meio durinho e com pouco miolo, mas bem gostoso. É grande, dá para uma pessoa “não-bode” comer e ficar bem satisfeito. Tem em quase todo lugar.

Foquei tanto na comida que esqueci da bebida, gente! Dicas básicas:

  • Esqueça sucos e refrigerantes em Paris. Geralmente são muito mais caros do que no Brasil. Já ouvi relatos de sucos de laranja custarem pequenas fortunas.
  • Dê preferência aos vinhos. O “da casa” sempre é o mais baratinho e super gostoso.
  • Não gaste seus ricos euros pedindo água mineral! Água é da torneira mesmo (nem faz essa cara de eca!) que é de graça. Caso você queira muito comprar água peça água com gás.

Notas devidamente tomadas?! Bon appétit, mes amis! 🙂

Anúncios

11 Respostas para “Mito do dia: comida francesa é pra passar fome.

  1. Pingback: Primeira viagem pra Europa?! 7 respostas pras perguntas que você está se fazendo. | naViagemcomCamila·

  2. Pingback: Culinária francesa: A raclette | naViagemcomCamila·

  3. Gostei muito do seu blog! Acho que tenho idade para ser sua mãe, pois tenho uma filha com 20 anos e me cansei de assistir o filme “O Corcunda de Notre Dame”… rsrsrs… Estou indo para París pela primeira no próximo mês e resolvi pesquisar algumas coisas pela internet. O seu blog é divertido, bem coloquial e me fez sentir-me em Paris… Parabéns! Continue escrevendo sobre suas viagens e dando suas dicas… Abs.

  4. Pingback: Comendo barato e saudável em Londres « naViagemcomCamila·

  5. Que coisa feia chamar a maguinha de “bode” só pq ela pesa 3 arroubas e um pouquinho… kkkkkkk

    Maga o post ficou show de bola!!! parabéns pela criatividade do blog e pelo bom gosto!!!!!

    Essa maga é meu orgulho!! hauhauahua

Que tal deixar sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s