Hoje na série Pontes do Recife: Ponte Giratória.

Essa semana mais uma ponte para a série Pontes do Recife. No post anterior da série (não viu? Clica aqui) falei sobre uma ponte que me chama atenção pela sua beleza. Hoje falarei de uma ponte que tem sua importância não na sua beleza em si, mas no ponto estratégico onde se encontra, na sua função econômica e na beleza da paisagem ao seu redor. Mas o mais peculiar sobre esta ponte é que ela sofre de crise de identidade, tadinha. Apresento-lhes, portanto, a Ponte Giratória!

A visão da ponte da Av. Martins de Barros

Esta ponte fica no bairro do Recife Antigo. Hoje tem uma função importante de ligação da zona sul da cidade ao centro. Ela é meio atarracada, truculenta, com uns pilares redondos imeeensos. A graça está no fato de que ela foi construída para se abrir ao meio e permitir a entrada de navios no que seria o antigo porto do Recife. Ou pelo menos isso era o que eu (e mais meio mundo de recifense) pensava, mas esse pedaço da estória conto ao longo do caminho. Sigamos.

Quando fui procurar saber da história da ponte descobri que esta é uma ponte espaçosa e meio egoísta, uma vez que para surgir levou à demolição de um monte de outras construções importantes que havia no bairro.  Quem explica melhor esse pedaço da construção da ponte é o blog do Chico Miranda:

“A ponte Giratória foi construída como parte de um plano de modernização da Ilha do Recife para se transformar em um polo de desenvolvimento regional. O projeto iniciou em 1918, e chegou a demolir 65% das construções do bairro  sob o governo de Dantas Barreto. A ponte foi inaugurada em 1922 e atualmente só há os pilares originais e serve de sustentação para a atual passagem.”

Fonte: http://chicomiranda.wordpress.com/2011/05/12/recife-sua-historia-contada-em-fotos/#comment-1321

Confesso que fiquei meio chateada com a ponte, afinal destruir construções históricas que havia na cidade não é nada legal, mas infelizmente é assim que as obras de engenharia fazem no Recife: desrespeitam as linhas arquitetônicas de prédios históricos para construir coisas novas em nome de uma “modernidade e progresso”. Mas tadinha da ponte, né? Tem nada a ver com a estória, coitada! Nossos gestores e as construtoras, esses sim, têm muito a ver com a estória! Mas esse é outro papo.

Engraçado que essa parece ser uma ponte bem mais velha do que realmente é. Dela se tem uma bela vista das margens do rio Capibaribe e do outro lado se pode ver o mar. No lado do rio se pode ver o Paço Alfândega (que era o antigo porto da cidade), o casario antigo e algumas outras pontes. Um verdadeiro espetáculo.

Eu nunca vi a ponte aberta, então fiquei na curiosidade e fui procurar uma foto da ponte aberta, ela não é giratória justamente para abrir? Eis o resultado:

Foi o máximo de “aberta” que pude ver em fotos. Pelo visto essa danada não se abre mesmo, de giratória só o nome! Foto: do blog do chico miranda.

Aí fiquei bem intrigada de não saber como a danada da ponte se abre: nunca vi aberta e não tem foto! Quer dizer até tem, mas não se parece nem um pouquinho com a ponte que vejo sempre que passo por lá. Caçando melhor, encontro uma explicação interessante no blog do Alexandre Buffa para as minhas suspeitas! Olha o que ele diz:

“Com a implantação e a ampliação gradativa do sistema de transporte rodoviário no Estado o tráfego de embarcações foi diminuindo. A Ponte que fora construída em ferro, apresentou problemas na maquinaria e a função primeira da Ponte Giratória – dar passagem a grande número de barcaças que aportavam no porto do Recife aos poucos, caiu em desuso, assim, teve que ser desmontada e em seu lugar foi construída outra ponte, ampla e de cimento armado, que foi inaugurada, em 1971, com o nome de Ponte 12 de Setembro.”

Fonte: http://alexandrebuffa.blogspot.com.br/2012/04/um-caminhar-pela-historia-do-recife_30.html

Ahhh rapaz, agora tudo faz sentido! Nem é mais a giratória e o nome também mudou. Mas vou te contar que todo mundo por aqui só chama giratória mesmo. Bem, vamos ao novo nome da menina: Ponte 12 de Setembro. Já deu para perceber que aqui as pontes sempre tem um nome oficial e outro que é o que todo mundo usa, né? kakakak

Hoje a ponte conta, em uma de suas pontas, com uma pracinha e obelisco:

Bem simpática essa pracinha, né? A vista dela é incrível! Foto: fotolog.com

Minha nota: 7

Localização: fica pertinho do (hoje shopping) Paço Alfândega, então vale a pena ir ver os dois lugares.

Gostou da ponte meio atarracada e destruidora, que só tem giratória no nome? Pra semana tem mais histórias das pontes.

Até lá!

Anúncios

4 Respostas para “Hoje na série Pontes do Recife: Ponte Giratória.

  1. Pingback: …Enquanto isso na série Pontes do Recife: Ponte Duarte Coelho. | naViagemcomCamila·

  2. Pingback: Sobre a série Pontes do Recife. | naViagemcomCamila·

  3. Gostei muito de ter sido citado em seu blog…. Estava um pouco desestimulado em continuar com ele, mas quando vi sua publicação me deu nova vontade de continuar falando dessa Cidade que tanto me encanta!!!! Obrigado.

    • Olá, Alexandre!!!
      Fico feliz de você ter se estimulado para continuar escrevendo seu blog. Sei que dá um trabalho danado e às vezes é bem cansativo, mas continua firme!
      Acho o seu blog fantástico! E Recife é uma ótima musa inspiradora, né não?!
      Abraços!

Que tal deixar sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s