…Enquanto isso na série Pontes do Recife: Ponte Duarte Coelho.

Cada ponte da minha cidade é muito mais do que uma conexão de uma ponta de uma rua com outra, uma forma de se cruzar os rios que banham a cidade. Já falamos de pontes com histórias engraçadas e inacreditáveis, com beleza delicada, com importância econômica, pontes com personalidade… Aqui é assim, cada uma tem um jeitinho, tem algo de especial, de único.

E essa semana, na série Pontes do Recife, uma ponte com um ilustre visitante! Isso mesmo, essa ponte (coitada) recebe anualmente uma visita da pesada, que traz muito barulho, colorido, música e festa. Curioso? Embarque no tour virtual pelas pontes do Recife.

Falarei hoje da Ponte Duarte Coelho.

A ponte Duarte Coelho se revela por detrás da árvore. Foto: naViagemcomCamila.

Esta ponte foi construída em 1884 em ferro. Sua função era servir de ligação para os trens que iam ao subúrbio da cidade. Tinha um nome esquisito: Ponte da Maxambomba. Esse nome deriva do inglês “machine pump”, uma espécie de locomotiva. No dizer popular de “machine pump” pra maxambomba são 2 segundos, né? Em 1943 a ponte de ferro que servia às locomotivas foi substituída por uma nova ponte em concreto, essa é a que está lá até hoje.

Foto: virdesigndeinteriores.blogspot.com

Em termos estéticos não acho a ponte das mais belas da cidade. Mas a bichinha é muito resignada porque aguentar o rojão* que ela aguenta todo ano não é para qualquer uma! Lembra que falei que ela recebia um visitante? Vou descrevê-lo para aumentar o suspense e “tu” ver se adivinha quem é.

  • Ele só vem uma vez por ano e fica hospedado na ponte por uns 5 dias.
  • Ele é bem “levinho”, tem pouco menos de 1 tonelada.
  • Ele vem e não vem desacompanhado, traz consigo pouca coisa, “só” tipo mais uns 1 milhão e meio de visitantes.

Ele tem nome e sobrenome: Galo da Madrugada.

Olha ele aí: sua majestade, O Galo. Foto: George Vale/ Flickr

Pois é, o Galo se “hospeda” durante o carnaval nesta ponte. Nem poderia ser diferente, né? Uma cidade que tem nas pontes sua marca registrada tem de colocar o símbolo do maior bloco de rua numa delas, gente! Tem tudo a ver! Aí fiquei me perguntando se foi algo programado pelos organizadores do bloco ou se foi assim acontecendo de forma natural. Aí descobri que o Galo gigante foi montado pela primeira vez em 95. Já em 96 ele foi colocado sobre a ponte e lá sempre foi colocado desde então. Na quinta ou sexta-feiras antes do carnaval mudam as rotas de trânsito e a ponte fica fechada se preparando para receber o visitante. Geralmente leva uma madrugada inteira para montar o “bicho” todo. Quando acordamos na sexta-feira lá está ele, prontinho pro carnaval e a ponte toda enfeitada!

Outro ângulo da resignada hospedeira do Galo da Madrugada. Tadinha dela, gente. Foto: naViagemcomCamila.

Para mais informações sobre o Galo, acesse: http://www.galodamadrugada.org.br/

Minha nota: 8

Localização:

Se você é novo por aqui e não acompanha a série ou ficou curioso para ver as outras, clique nos links abaixo para ver as pontes que já passaram por aqui. 😉

Ponte Velha

Ponte Giratória

Ponte do Boi Voador (Maurício de Nassau)

Ponte da Boa Vista

* Rojão por aqui significa carga, fardo, algo geralmente difícil de se levar. Ex.: Eu mesmo não aguento esse rojão de 12 horas de trabalho diário, fulaninho.

Anúncios

Que tal deixar sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s