Hospedagem caseira.

Tá afim de entrar de cabeça na cultura do local que você vai visitar? Que tal começar se hospedando na casa de pessoas que lá moram?

Foto: wallpaperhere.com

Esta opção já existe e não é caridade ou invenção de turista doido aventureiro. É um negócio que rende grana pro dono do imóvel e economia pro viajante. Se interessou? Apresento-lhes a hospedagem caseira ou domiciliar.

Vi uma reportagem sobre o assunto na revista Veja e fiquei bastante impressionada. Achava que era uma coisa de turista que gosta de programa de índio, mas o serviço tá super organizado. Segundo a revista, desde 2007 já existem sites especializados em fornecer acomodação, pode ser desde um quarto até um apartamento inteiro, para turistas que querem combinar imersão total numa nova rotina e hábitos de pessoas de cultura diferente com economia na hospedagem. Do outro lado estão pessoas com espaço ocioso dentro de suas casas que querem incrementar sua renda.

Foto: hospedario.com.br

Para quem deseja anunciar e fazer uma graninha hospedando pessoas o anúncio é gratis. Mas os sites geralmente ficam com uma porcentagem do que você cobrou quando você fecha negócio. 24 horas depois do check in os valores, pagos ao site, caem na conta do proprietário (já com os descontos devidamente feitos).

Para quem deseja se hospedar não há limite pré-fixado de dias de estadia. Há comentários de quem já se hospedou e notas dadas por estas pessoas para itens como localização, limpeza, etc… Isto é ótimo porque você pode ter referências de um local e se sentir mais seguro antes de reservar. Os sites cobram também uma porcentagem do hospede sobre o valor total das diárias.

Minha opinião pessoal é que se forem tomadas algumas precauções pode ser uma excelente ideia. Imagina você conviver com pessoas que tem hábitos completamente diferentes por uns dias, viver sua rotina? Nada de achar que as pessoas vivem assim ou assado. Não é só ver os lugares, a arquitetura, é viver aquele lugar um pouquinho. É o tipo de experiência que um quarto de hotel ou albergue não podem te dar. Imagina só estar na casa de uma família mulçumana, japonesa, de surfistas havaianos? Me parece ser bem interessante e pode ser econômico. Me animei bastante!

Aí fiquei pensando em alguns cuidadinhos básicos que eu tomaria para entrar nesse tipo de viagem. Pensei nas duas hipóteses: tanto para hóspede quanto para hospedeiro:

Hóspede:

  • Sempre verificar os comentários e notas dados por pessoas que já se hospedaram no lugar. Eu não iria para um lugar que ninguém nunca se hospedou, afinal há um risco.
  • Nunca me hospedar sozinha nestes lugares, teria de ter uma cia de viagem e preferencialmente ficar numa casa em que morasse mais de 1 pessoa. Nunca se sabe o louco que há do outro lado do globo.
  • Ficar ligado se há taxas extra por limpeza de quarto, troca de roupas de cama, etc e tal.
  • Ver bem direitinho as fotos do imóvel e o estado de conservação.
  • Ler as regrinhas que o dono da casa impõe. Se elas forem contra seus hábitos, melhor pular fora.
  • Estar disposto a entrar no clima de uma casa diferente da sua. Se for pra ficar cheio das frescuras é melhor caçar um hotel, fofinho.

Foto: mariapresenteira.com.br

Hospedeiro:
  • Deixar bem claras as regras da sua casa. Pensar com cuidado tudo que pode te trazer transtorno e muito incômodo.
  • Calcular direitinho todos os custos que este hóspede vai te dar antes de fazer a oferta no site.
  • Nunca hospedaria uma pessoa só. Só casais, famílias. São mais barulhentos e espaçosos, mas seria uma possível prevenção de ataques de psicopatas surtados.
  • Ter certa flexibilidade. O hóspede nem sempre é um ser com noção das coisas e é preciso estar preparado pra levar algumas situações na boa.
  • Na reportagem eles advertiam para tomar cuidado com pessoas da sua cidade que querem a estadia por pouco tempo. Segundo a revista há a possibilidade de ser um fulano que quer fazer uma festinha no ap no SEU ap ao invés do dele. Tem doido pra tudo, né?!

Na minha caça de mais informações, eis que dou de cara com um site brasileiro, da Prefeitura do Rio de Janeiro, que incentiva a hospedagem domiciliar. O site é o: http://www.hospedario.com.br/index.php . Lá tem várias regras e eles trazem categorias de ‘estabelecimentos’. O site é de muita valia para quem quer mais dicas antes de embarcar na experiência.

Foto: languagepossible.com

Segue uma lista de alguns sites especializados em hospedagem caseira:

Airbnb:  https://www.airbnb.com.br/

Wimdu: http://www.wimdu.com.br/?wt_af=zanox.de.userid=1513076.partnerid=19658958C24674310

9flats: http://www.9flats.com/pt/

Homelidays: http://www.homelidays.com/

E aí, se animaram? Respondam nossa enquete e comentem lá embaixo, queridões! 🙂

Anúncios

4 Respostas para “Hospedagem caseira.

  1. A idéia é muito boa. Ouvi falar do airbnb, pretendo experimentar um dia em um mochilão de volta ao mundo.
    Não há desculpa de ser caro viajar, tem para todos os bolsos.
    Muito bom.

Que tal deixar sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s