Comidinhas típicas da minha terra.

Amigos leitores e viajantes, viajar pode ser uma experiência multissensorial pra quem se permite. Não é só ver, mas pode ser sentir, cheirar e degustar! Minha terra tem muita comida e das boas, viu? Se você está pensando em vir para cá não pode deixar de experimentar alguns gostinhos típicos daqui. Tem tanta coisa que duvido que não haja algo que te agrade!

Aproveito o post pra dar aquela explicada nas “regras de etiqueta” da comida. Já me perguntaram se aqui era a terra do acarajé, qual era a bebida que se servia quando alguém chega na casa do outro e se os recifenses saíam para dançar o TREVO. Gente, helloooo! Cada lugar tem suas peculiaridades, então pra não fazerem feio quando chegarem aqui pedindo as comidas erradas vou passar as dicaspra todas as refeições!

PRA ENCHER O BUCHO DE VERDADE.

Nordestino é povo que dá o sangue no trabalho e por isso a comida tem que ser reforçada! Aqui a comida de todas as refeições é meio pesada, exceto o jantar. Pra “tu” ficar satisfeito mesmo e ter força pra aguentar o rojão vamos à comida da “sustança”!

Escondidinho de charque

Hummm, esse é de lamber os “beiços”. É uma mistura de macaxeira (ela tem outro nome no sudeste e sul do país que não sei qual é) com carne de charque. O escondidinho pode ser de charque, o mais tradicional, ou de carne de sol, camarão… Por cima da mistura vai uma camada de queijo. Isso tudo gratina no forno e pronto! Coma de olhos fechados!

Arrumadinho

Aqui tá tudo “separadinho”, mas a gente come tudo misturado mesmo, viu?

 Esse prato é uma mistura de: feijão verde, charque, vinagrete e farinha. O jeito certo de se comer é misturando tudo. Lá no interior o pessoal misturava tudo, como tem farinha ela dá uma liga, e daí faziam uns bolinhos com a mão e comiam desse jeito mesmo. Aqui na capital a maioria come com garfo e faca, mas o que dá o gostinho mesmo é comer todos os ingredientes misturados.

É o meu prato favorito, sou louca por ele! O arrumadinho me lembra uma estória engraçada. Um amigo meu, gaúcho descendente de alemães, veio até Recife e seus pais haviam lhe dito para comer um tal de “separadinho”. Ele chegou aqui querendo o tal “separadinho” e até eu desvendar que era arrumadinho levou um certo tempo! Kakakakaka

Carne de sol

Muito típico do nordeste e em Pernambuco todo mundo come muita carne de sol. Não sou muito entendedoda de carnes, mas acho que a carne é macia por ficar coarando no sol. Pra mim ela tem um segredinho: colocar manteiga de garrafa por cima dela pra dar aquele gostinho. Tem gente que usa a manteiga de garrafa sobre o feijão verde, mas eu prefiro mesmo é na carne de sol.

É assim que se prepara a carne de sol.

Buchada

O visu não é dos piores. Se você não soubesse do que é feito você comeria? Eu como!

A buchada é para os fortes de espírito e que não se assustam com ingredientes inusitados. Buchada vem de… bucho! Bucho (barriga no nordestinês), tripas e fígado de bode.

Atenção: como essa comidinha usa “partes delicadas do bode”, digamos assim, não é aconselhável provar a iguaria em qualquer lugar. Tem que ser um lugar muuuito limpinho e confiável, ok?

Sarapatel

Outra comida da categoria “para os que gostam de aventuras radicais”. Se você pensou que a buchada já era demais, o sarapatel é mais hard core do que ela, gente. Aqui o principal ingrediente é o porco. Até aí tudo bem, a parte para os fortes vem quando você descobre que partes do porco são usadas: tripas, vísceras e sangue coalhado e cortado em pedaços. Antes que você ache que isso é invenção de nordestino morto de fome da seca a iguaria vem de Portugal!

Entre sarapatel e buchada eu prefiro o sarapatel, é mais gostoso. E aí, quem encara o sarapatel?!

O sarapatel a gente geralmente come com farinha e um limãozinho. Cai muito bem como tira-gosto.

SUCOS.

Aqui é uma variedade de frutas e sucos que só vendo!

Meu mesmo amigo gaúcho que queria comer “separadinho” pirou numa fruta deliciosa que nós temos aqui: cajá! Depois que esse meu amigo provou cajá ele queria tudo de cajá: suco, picolé, tudo! Se tivesse sopa de cajá ele ia querer!

Mas nem só de cajá vive o nordestino – tem acerola, graviola, umbu, jaca, siriguela… Fruta é o que não falta aqui.

Esse aqui é o umbu, gente! Eu prefiro a fruta ao suco.

CAFÉ DA MANHÃ/JANTAR.

Uma coisa que notei: em alguns lugares do país a comida do almoço é o mesmo tipo de comida do jantar. Aqui é diferente, geralmente não comemos as mesmas coisas no jantar e almoço. Jantar aqui é hora de comer outras coisas que não arroz e feijão. Tem outro causo engraçado de um colega que veio pra Recife e estava na casa de outros amigos e sempre queria passear na hora do jantar porque não aguentava mais comer sopa no jantar na casa dos seus hospedeiros. Aqui em quase toda casa tem sopa no jantar ou um dos itens abaixo.

Munguzá

Alguns chamam de “manguzá” outros de “munguzá”. O mais comum aqui é ser doce. Munguzá é um caldo grosso, feito com leite de coco e caroços de milho. Atenção que não adianta pegar milho de pipoca pra fazer munguzá e nem milho verde em lata! É um milho específico. O parto é servido quente e geralmente comemos no café da manhã ou jantar. Pra completar, polvilhar canela em pó dá o toque especial do prato.

Cuscuz

Não conheço um nordestino que não goste de cuscuz! É base da alimentação das pessoas daqui e confesso que achei muito estranho quando morei no sul não ter a massa do cuscuz no mercado. Cuscuz é feito da farinha de milho. Essa massa é cozida na cuscuzeira. O gosto é bem característico e não se parece com milho normal que comemos. Só provando pra saber! Atenção: cuscuz é sempre acompanhado de algo: leite, carne, queijo, ovo, charque, manteiga…

Macaxeira

A macaxeira aqui é diferente da do escondidinho porque se come a raiz cozida na água com carne, queijo, manteiga…

Inhame

Mesmíssima coisa da macaxeira. É outra raiz que cozinhamos na água e servimos com mais alguma coisa como carne, queijo, manteiga…

Sopa

A sopa é queridinha de 9 em cada 10 casas nordestinas! Pode ser de vários tipos: carne, canja, legumes, feijão…

SOBREMESA.

Bolo de rolo

Esse é símbolo de Pernambuco, em especial. É uma massa finíssima com um recheio que pode variar. O tradicional é com recheio de goiabada. Hum….

Tapioca

Essa aqui é uma com recheio romeu e julieta.

A tapioca é uma das mais famosas comidas daqui! Coloquei na categoria das sobremesas, mas ela poderia estar no café da manhã/jantar. Tudo vai depender do recheio que se usa. Se for doce, vira sobremesa, mas é bem comum comemos nestas outras refeições. Aí geralmente o recheio é queijo e coco, o mais tradicional. Hoje em dia já há recheios de frango catupiri, charque, bacon…

Nêgo-bom

Nego bom é um doce, tipo uma bala!

Cartola

Cartola é uma mistura de banana e queijo. Se for queijo de manteiga fica melhor ainda! Essa mistura vai ao forno e quando o queijo derrete se acresce canela em pó e açúcar. É excelente!

Isso aqui é uma delíciaaaa!

Queijo coalho e mel de engenho.

Essa dispensa apresentações, o nome já diz tudo.

Rapadura

Vamos desmitificar: a rapadura não é algo que se come com frequência aqui, mas é um doce que só existe no nordeste e é feito de cana de açúcar. Dei uma olhada na origem do doce e olhem o que achei:

A rapadura é muuuito doce.

“Fabricada em pequenos engenhos de açúcar, surgiu no século XVI como solução para transporte de açúcar em pequenas quantidades para uso individual. Como o açúcar granulado umedecia e melava facilmente, os tijolos de rapadura eram facilmente acomodados em sacolas de viajantes, resistindo durante meses a mudanças atmosféricas.”

E aí, água na boca?!

Há restaurantes especializados em uma coisa só, como uns famosos pelo arrumadinho. Mas para os turistas minha dica é procurar restaurantes que sirvam comida regional, porque aí você pode experimentar um pouquinho de tudo. Há uns 2 por aqui que só servem comida regional, muitas vezes por quilo e você pode provar de um tudo num lugar só.

Bom apetite! Ou melhor “fartem-se até não poder mais’! 😛

Anúncios

9 Respostas para “Comidinhas típicas da minha terra.

  1. Pingback: O manual do novo Recifense | naViagemcomCamila·

  2. Pingback: Guia de Bares e Restaurantes em Recife: comida típica, massas, bares e lanchonetes. | naViagemcomCamila·

  3. Pingback: Roteiro de carro pelo Nordeste. | naViagemcomCamila·

Que tal deixar sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s