Brugge

torre campanário

Um dos pontos mais visitados da cidade: a torre do campanário. Foto: naViagemcomCamila.

Que lugar é esse?

Brugge é uma cidadezinha que fica na Bélgica. Durante muito tempo foi entreposto comercial na Europa, especificamente na época medieval. Aí depois, com a renascença caiu no esquecimento e assim ficou por séculos e séculos, ou seja: parou no tempo e lá ficou esquecida… Até que… Foi redescoberta e virou a vedete dos turistas! Tcharan!!!

A cidade parece feita à mão, parece cidade cenográfica, só que de verdade, gente! É linda, tem prédios belíssimos, passeio de canal, passeios de charrete e city tour. A praça central é um charme. Tem várias lojas com um dos produtos que os belgas mais sabem fazer: chocolate!

Maaaas, eu disse que ela virou a vedete dos turistas, lembra? Aí a coisa ficou bem comercial, cheia de lojas para turistas, preços astronômicos, e tudo bem “maqueado”. Li em alguns sites, antes de ir ver Brugge com meus próprios olhos, que esse desenvolvimento da cidade como destino turístico deixou ela meio artificial, o que é verdade.

Muito embora concorde com o argumento, na minha opinião a cidade é tão tão tão linda, tão surreal que essa crítica fica pequena. Tudo bem que ela seria tipo uma “Porto de Galinhas” européia, mas embora comercial demais a cidade é bela, gente. Os preços são astronômicos, mas a gente pode ir, ver e consumir só o mínimo necessário (tipo ar) para se manter vivo, né? 😉 Kakakakak

Como chegar lá?

Trens saem de várias cidades européias para Bruxelas. Compre seu trem com antecedência para Bruxelas. Já o trem para Brugge deixe para comprar na hora que chegar em Bruxelas, eles saem a cada 30 minutos da capital belga.

Quanto tempo ficar?

Então, perguntinha delicada… Eu, Camila, acho que Brugge é cidade de 1 ou 2 dias, no máximo. A não ser que você queira curtir um hotel, os restaurantes, o clima do lugar eeee… (importantíssimo) tenha bastante grana porque a cidade é cara.

Há algumas atrações para se ver, como a Torre do Campanário, tem uns museus, a visita ao Convento, aos moinhos, mas na verdade não encontrei muitas coisas que me interessassem nestes passeios. É pra curtir a cidade à céu aberto, sabe? Dar umas voltas, caminhar, se sentir na Idade Média e pronto!

Brugge

E quando você sai caminhando pelas ruelas… Olha só as belezuras que encontra no meio do caminho! Foto: naViagemcomCamila.

Lá chegamos numa gélida manhã de fevereiro e passamos um frio de rachar! Nossa, poucas vezes na minha vida passei tanto frio. Então, meu conselho é: vá na primavera, verão, outono, menos no inverno! Não tem flores, sol, sensação agradável de caminhar nas ruas… É porque a beleza da cidade é muito grande senão diria à você que foi meu maior programa de índio de todos os tempos.

O que ver?

Tem 2 passeios que achei interessantes: passeio de canal num barquinho aberto (só faça isso no verão, pelamordedeus!!!) e o city tour num ônibus fechadinho (inverno). Como fui no inverno fiz o de ônibus que foi legal porque, além de quentinho, tinha explicações. Depois demos umas voltas pelas ruas, compramos chocolates, e tomamos muuuuuito chá.

Não, Brugge não é a cidade do chá. Deixa explicar melhor: meu namorado estava levemente desarranjado (se é que vocês me entendem) e precisava se hidratar. Naquele frio era impossível ficar bebendo água, então parávamos em cada casa de chá que víamos e tomávamos chás. Pagamos a bagatela de 6 (eu disse seis!!!) euros por uma xícara de chá. Dá pra tu, negão?

Isso cada um de nós, então faça as contas:  foram 12 euros só pra sentar e tomar um chá. Ah, e não pode entrar para acompanhar a pessoa que está com você, TEM de consumir também. Quase me levanto e espero meu namorado fora do restaurante, mas o frio lá fora era tão grande que tive de me passar pra tomar água quente com ervas por 6 EUROS!

Dica de amiga: falando em grana, se você for passar o dia vai ter de almoçar ou lanchar por lá, né? Procure nas ruelas pelas lanchonetes e restaurantes, fuja dos que ficam nas avenidas principais. Essas ruelas tem preços mais convidativos. Tem inclusive um restaurante famosíssimo pela boa comida e precinhos camaradas. Mas tem de chegar muito cedo ou reservar com antecedência. Nós chegamos às 11horas e já estava todo reservado.

Chama-se Medard o restaurante e o prato mais famoso é o espaguete. Se você quiser pode ‘caçar’ (procurar em nordetinês) pela rua St. Amandsstraat.

E aí, gostou da cidade que parou no tempo?! Já esteve lá? Conta pra gente o que achou de Brugge.

Tô te esperando nos comentários. 😉

Até a próxima!

Anúncios

2 Respostas para “Brugge

  1. Pingback: Primeira viagem pra Europa?! 7 respostas pras perguntas que você está se fazendo. | naViagemcomCamila·

  2. Pingback: Viajando e aprendendo: não marque nada longe do seu local de embarque no dia anterior. | naViagemcomCamila·

Que tal deixar sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s