Recifeando – A Rua do Imperador.

Já que março é o mês em que a Veneza Brasileira faz aniversário, semana passada estreamos a Série Recifeando como um presente virtual para a cidade de Recife. Nossa série começou pela Praça da República (não viu clica aqui) e hoje ela vai para a rua do Imperador.

E hoje, dia 12 de março é o dia de dar parabéns para Recife e Olinda, as cidades irmãs que estão aniversariando nesta data! Então hoje o passeio é especial. Vamos comigo?!

A Rua do Imperador

A Rua Imperador Dom Pedro II tem estórias para contar, viu? Ela fica pertinho da Praça da República e já começa com o Palácio da Justiça bem na sua esquina. Agora é só caminhar calmamente ao longo de sua extensão e estar atento aos detalhes que ela traz.

Google Maps: 

Convento e Igreja de Santo Antônio.

convento e igreja de santo antônio

A Entrada da igreja que também dá acesso ao Convento. Foto: naViagemcomCamila.

O prédio do convento, antes de existir o Palácio da Justiça, ia até o começo da rua. A construção é de 1606-1613. Ele fica no lado direito da rua. Bem coladinho dele está a Igreja de Santo Antônio. A igreja é interessante, mas as melhores surpresas estão na parte do convento. Logo quando se entra está o pátio ou claustro. Neste pátio estão várias passagens bíblicas desenhadas em azulejo português. Desde gênesis até Noé e sua arca tem várias passagens por lá. Elas enfeitam todas as paredes do pátio e da igrejinha.

convento azulejo português

As passagens bíblicas ilustradas pelos azulejos portugueses. Foto: naViagemcomCamila.

convento patio

Muito bonito esse pátio. Atrás está a torre da Igreja de Santo Antônio. Foto: naViagemcomCamila.

No dia em que lá estive tive a ajuda do sacristão me explicando algumas coisas. Segundo ele os azulejos de todo o convento ilustram passagens bíblicas, exceto os de dentro da igreja, que contam a vida de São Francisco e Santo Antônio. Ele também me mostrou o que seria uma passagem secreta para os monges se esconderem em caso de ataque. Só não sabia dizer onde ela ia terminar. Foi bem interessante.

Masss, o tesouro que o Convento guarda é ainda maior: lá estão os únicos exemplares de azulejo holandês em Recife. Depois da invasão  holandesa quase tudo que eles construíram foi destruído. Pelo que li, e o sacristão me confirmou, estes são os últimos azulejos. Eles estão bem acabadinhos, é bem verdade, mas são bonitos e diferentes dos portugueses: não criam figuras grandes. Tem motivos florais ou de figuras montadas em seus cavalos, cada azulejo tem uma figura diferente.

azulejo holandês recife

Os únicos representantes holandeses por essas bandas. Foto: naViagemcomCamila.

Informações:

Horário funcionamento: segundas, quartas, quintas e sextas das 08 às 11:30 e das 14 às 17:30 hora. Nas terças (dia dedicado à Santo Antônio) fica aberto das 06 às 17 horas sem intervalos. Sábados das 15:30 às 18 horas e domingos das 16 Às 18 horas.

Entrada grátis (palavrinha mágica).

convento pátio recife

Em cima holandês, embaixo português. 😉 Foto: naViagemcomCamila.

Capela Dourada

capela dourada

A Capela Dourada e toda sua exuberância. Foto: naViagemcomCamila.

Bem ao lado do convento e da igreja está o Museu Franciscano de Arte Sacra. O Museu é até interessante, tem alguns objetos bem inusitados como o palanquim, que era uma espécie de carro onde se carregavam objetos sagrados, um São Francisco em êxtase feito todo em madeira… Mas aqui a surpresa fica por conta da Capela Dourada. O lugar é simplesmente a igreja mais bela de toda a cidade.

A Capela é de uma beleza que nem consigo descrever, então conto sua história e deixo as fotos para vocês terem uma ideia com seus próprios olhos. Começou a ser erguida em 1696 pela  Ordem Terceira de São Francisco das Chagas. De estilo barroco ela tem esse nome devido ao ouro que está por todos os lados.

capela dourada detalhes

As pinturas, o teto, as colunas de madeiras atalhadas com motivos de folhas e tudo com muuuito ouro: essa é a Capela Dourada. Foto: naViagemcomCamila.

As estátuas que decoram a capela são bem interessantes, mas achei mais bonitas as pinturas que trazem personificações das virtudes. O lugar é pra sentar e gastar uns minutinhos do seu dia, porque é espetacular. A sacristia tem uns móveis grande e bem imponentes no seu interior, mas nada, nada se compara ao luxo da Capela Dourada, gente! Vale muito a pena!

capela dourada

O sol fazendo tudo ficar ainda mais dourado. Foto: naViagemccomCamila.

Ah, quase que esqueço! Antes de chegar na capela tem um mini jardim no pátio interno do Museu lindo de viver. Detalhe para as janelas do primeiro andar que formam uma linda paisagem com o jardim. É até engraçado porque a Rua do Imperador é sempre tão movimentada e corrida que nesse pátio interno parece que você se teletransportou para outro lugar calmo e silenciosos. É realmente bem legal!

patio capela dourada

O pátio interno da Capela Dourada é uma tranquilidade só. Foto: naViagemcomCamila.

Informações:  

Horário funcionamento: o Museu está aberto de segunda à sexta das 09 às 11:30 e das 14 às 17 horas. Sábados é das 08 às 11:30.

Entrada custa R$ 3,00.

Arquitetura da Rua

Ao longo da rua tem uma série de outros prédios legais e detalhes a serem observados. Bem pertinho dali está o Gabinete Português de Leitura, que também pode ser visitado e uma série de outros prédios bonitos. Alguns deles tem uso privado, portanto não dá para entrar. Mas desses todos tem um que chamo especial atenção porque ele é um dos poucos exemplares de arquitetura holandesa. Não sei explica em que ponto exato da rua ele fica, mas se você for andando ao longo dela vai encontrá-lo. Ele fica do lado esquerdo da rua e é esse prédio de azul escuro bem fininho, quase que espremido entre os outros:

prédio holandês

Igreja do Divino Espírito Santo (na Praça 17).

praça 17 recife

A Praça 17 e sua índia. Ali atrás das árvores se esconde nosso destino. Foto: naViagemcomCamila.

Já bem perto da rua terminar fica nossa última boa surpresa. Ali, à direita da rua, está a Praça 17 com sua figura de índia numa fonte e, quase escondidinha por entre as árvores está uma igreja. Tadinha está em mau estado de conservação, quando a gente passa nem dá muita bola pra ela, mas não se avexe. Olhe primeiro para cima. Lá no topo, do lado de fora, estão as ruínas de uma espécie de antigo sinalizador para as embarcações que chegavam à cidade.

Isso mesmo, na rua do Imperador acabava a ilha de Santo Antônio, depois já era o rio. A torre da igreja servia de sinal para os barcos se guiarem. Hoje esse sinalizador, que mais lembra uma mandala, está super acabado, quase se apagando no topo da igreja, mas ainda continua lá. Vire bem o pescoço, desvie das árvores e você verá.

igreja divino espírito santo

Essa forma redonda ajudava embarcações a chegarem à cidade. Foto: naViagemcomCamila.

A igreja não é bem cuidada, mas a bichinha é resistente porque começou a ser construída em meados do século XV!!! Ela nem era igreja naquela época. Com a invasão holandesa foi erguido um Templo Calvinista para Franceses. Depois da expulsão dos holandeses virou igreja.

É legal entrar nessa igreja porque ela foge dos padrões barrocos de quase todas as igrejas da cidade. Provavelmente pelo fato de a construção original ter sido para o Templo Calvinista. Tudo é meio ‘clean’ nela. Só a nave central que foge à regra e é de babar. Super diferente e rebuscada, mas ainda assim não tem nada a ver com aquelas igrejas cheias de ouro, todas talhadas na madeira.

igreja divino espírito santo

A nave central bem diferente do estilo que predomina nas igrejas de Recife. Foto: naViagemcomCamila.

interior igreja

Provavelmente por ter sido Templo Calvinista tudo lá é bem simples, sem aquelas decorações rebuscadas de igrejas barrocas. Foto: naViagemcomCamila.

Destaque também para os pisos. Tem vários diferentes lá que formam uns bonitos mosaicos. Achei eles tão legais que fiz várias fotos só dos diferentes pisos:

pisos igreja espírito santo

Nosso passeio acaba por aqui, meu povo! Gostaram da Rua do Imperador?

Tinha mais um monte de coisas para escrever, mas achei o post já super gigante. Se você gostou, quer mais dicas, sugestões escreve para mim lá nos comentários, fechado?

E parabéns para Recife e Olinda! ÊÊêêêêêÊÊ!!!

Para outros posts da série Recifeando:

Recifeando – A Praça da República.

Anúncios

4 Respostas para “Recifeando – A Rua do Imperador.

  1. Pingback: Alcântara (Maranhão) | naViagemcomCamila·

  2. Pingback: Roteiro de carro pelo Nordeste. | naViagemcomCamila·

  3. Pingback: Recifeando – Apipucos | naViagemcomCamila·

  4. Pingback: Recifeando – A Jaqueira. | naViagemcomCamila·

Que tal deixar sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s