3 motivos para não ir à Feirinha de Boa Viagem

É parada obrigatória: se vem à Recife tem de ir à Feirinha de Boa Viagem. Está em tudo quanto é guia de viagens, até nos fornecidos pelos órgãos oficiais de turismo do Estado.

feirinha boa viagem recife

A tão recomendada para os turistas Feirinha de Boa Viagem. Foto: naViagemcomCamila.

Que fixação de levar turista naquela Feirinha, viu?! Pena dos coitados perdendo seu tempo dando voltas naquela praça com aquela feira! E olhe que eu a-m-o uma feirinha, mas aquela ali não consegue me cativar.

Por isso a sessão Mitos de Viagem  do nosso blog é sobre ela: motivos para você não perder seu tempo na Feirinha de Boa Viagem.

Eu moro em Recife, portanto falo com propriedade (porque conheço bem o lugar) e posso falar mal o quanto quiser dela. Sabe como é o bairrismo – que nem família – só a gente daqui pode falar mal. Kaakakakka 😛

Outra coisa: eu não recomendo a feirinha para quem é turista. Eu mesma frequento a feirinha eventualmente e acho legal ir lá comer uma tapioca porque não tô com paciência de ir lá na Sé em Olinda. Nem todo lugar que frequento no minha cidade é necessariamente um local que levaria turistas.

Para o turista que tem pouco tempo ela não oferece nada de legal, interessante. Quem é turista quer ver beleza, originalidade, História e aquele lugar não tem nada disso, na minha opinião. Se o turista está sem nada para fazer, de bobeira no hotel, aí sim, vale a pena ir dar umas voltas por lá.

Bem, vamos aos motivos pelos quais eu não recomendo a Feirinha para você turistar:

1. Feira de quê mesmo?

A Feira em si não tem nenhum artigo interessante. O artesanato não apresenta nada de novo ou original. Muitas peças são feias mesmo, outras tem uma qualidade meio duvidosa.

Há pessoas que aproveitam a vitrine da praça para levar sapatos, roupas, quadros e outros objetos que não se enquadram bem na categoria artesanato para mim. Enfim, é um samba do crioulo doido.

feirinha boa viagem

As camisetas tirando onda com a fama de tubarões que estão nas praias da cidade. Foto: naViagemcomCamila.

O artigo interessante que a Feirinha trás são umas camisetas. Mas não daquelas bem breguinhas “Fui em tal cidade e lembrei de você…” Eles substituíram boa parte dessas (embora elas infelizmente ainda continuem lá) por umas que tem um tubarão com os dizeres de algo tipo ‘fui à recife e o tubarão não me pegou’.

Essas sim são camisas legais e originais e que tem tudo a ver: a fama de Recife ter tubarões e a proximidade da praia de Boa Viagem, que está bem na frente da feirinha.

Se você quer ver artesanato e feira legal de verdade deve procurar a Casa de Cultura ou o Artesanato de Pernambuco Unidade Recife, que fica lá no Marco Zero. Se você quer peças feitas à mão, com um design diferente, peças únicas, deve procurar a Feirinha do Recife Antigo (essa só acontece aos domingos, não é fixa)

Para saber mais sobre a Casa de Cultura e o Artesanato de Recife unidade Recife:

Unidade Recife do Artesanato de Pernambuco.

2. “Prazer, meu nome é decadência”.

O lugar passou por reformas, mas ainda tem cara de decadente. Não há atrativos no lugar. Para você que nunca foi é assim:

“uma praça, na orla da praia, com uma igreja (bonitinha, azul, é verdade, mas há muitas outras igrejas mais interessantes em Recife e Olinda) e uns stands vendendo coisas, uma área em que se concentram as comidas, eventuais rodas de capoeira ou outra apresentação”

A praça em si é organizada, mas hoje é circundada por prédios comerciais velhos ou moradias.

Ah, para não dizerem que só falo mal de la: tem um restaurante com comidas bem gostosinhas. Tem inclusive comida regional. O lugar chama-se Ilha Sertaneja.

3. História Zero.

A feira não fica num lugar histórico, não tem um prédio com um passado interessante, não há nada que torne aquele lugar característico. Quer dizer, há sim, mas não é positivo.

Essa praça fica num lugar que, por muitos anos, foi ponto de prostituição aqui em Recife. Havia bares e ‘boates’ em frente à praça, o que afastou os recifenses do lugar. Hoje o cenário é diferente. Acabaram os prostíbulos ao lado da praça (creio eu que acabou a prostituição também), famílias frequentam o lugar, levam suas crianças, mas o lugar não tem beleza. E a História recente dele, coisa de uns 15 anos atrás, é essa.

feirinha boa viagem recife

A parte de comidas da Feirinha e, ao fundo, a igrejinha da praça. Foto: naViagemcomCamila.

E você, já foi na Feirinha de Boa Viagem? O que achou? Conta para mim e pros leitores suas impressões. Quem sabe assim não terei mais alguém que concorda comigo ou que me convence do contrário. 😉

Atualização (em 26 de outubro de 2013):

O post é bem polêmico e tem causado revolta de algumas pessoas, gerando comentários ofensivos à minha pessoa e sem nenhum respeito ou educação. Informo que o conteúdo desse blog (que é MEU) reflete MINHAS opiniões. Elas não têm a pretensão de ser a verdade absoluta, são apenas, repito, as minhas opiniões. Vocês tem todo direito de concordar ou discordar e expor isso nos comentários, contanto que o façam de uma forma que elogiem ou critiquem o assunto abordado (e não a minha pessoa) de forma coerente.

Abraços, viajantes!

Anúncios

32 Respostas para “3 motivos para não ir à Feirinha de Boa Viagem

  1. MAS ACHO QUE NO FINAL COMO FICA EM ZONA TURISTICA É MELHOR QUE APARENTE O POS-REFORMA DO QUE A TEMPORALIDADE ORIGINAL; AS COISAS DE ATMOSFERA MAIS PRESERVADA JA EXISTEM EM OUTRAS ZONAS DA DEEP CITY

  2. MAS HÁ UM LADO POSITIVO E NEGATIVO EM AMBAS..QUANDO SE REFORMA ESTILO METROPOLE PROTO-REGIONAL FICA AQUELA COISA TURÍSTICA DEMAIS E PERDE SUA ATMOSFERA ORIGINAL MAIS ESPONTANEA, ENTÃO NÃO POSSO DIZER QUE MANTER ELA DECADENTE ASSIM SEJA TOTALMENTE NEGATIVO PARA BV POR QUE A ATMOSFERA ORIGINAL CONTINUA ALI

  3. Sou Gaúcho e estive na feirinha, achei linda, comi pela primeira vez espetinho de camarão empanado lá, quando fui a Boa Viagem estava conhecendo o Nordeste, mas eu ao contrário do texto recomendo, além da feira tem um orla sem praia, mas com quiosques e um passeio bem legal.
    Estou indo morar em Recife e pretendo ir novamente ver a feira.

  4. Pingback: Viva os 2 anos do blog! | naViagemcomCamila·

  5. Olá Camila, eu sou artista plástico de lá da feirinha, e gostaria de lhe dizer que você foi infeliz de postar algumas coisas que sou obrigado a discordar de você…A feirinha já existe por mais 40 anos, e é a feira de artesanato mais antiga do Brasil, hoje, patrimônio cultural e artístico do povo pernambucano. O nome da feira é: Feira de artes e artesanato de Boa viagem, portanto, as vendas de objetos de artes como pintura em telas está de acordo com os artigos permitidos para a venda. Outra coisa, se hoje, o local não tem beleza, você deveria criticar o governo municipal que é o responsável por tal, e tambem responsável pela própria feirinha…! Saiba que a feira tem lei regulamentada e em vigor, portanto, o artesão não tem culpa por a praça e a feira estarem deterioradas, pois, quase nada se faz alí naquela feira, sem consentimento da prefeitura, mesmo que se for para melhorar… Saibas que a feirinha é apenas um evento cultural para todos os visitantes e turistas que gostam de artesanato ou artes, e, os que a procuram, é porque tem interesse nos artigos comercializados ali, então, discordo de você, pois a feirinha é um motivo para para levar o turista sim, além do mais, além de todos que trabalham alí tirarem seus sustentos, outros profissionais tambem se beneficiam indiretamente com a feira Ex: Taxistas, logistas, hoteleiros, fornecedores artesãos e até camelôs e flanelinhas…O local tem história, procure se informar a respeito…! Quanto a prostituição que você citou, Saiba você que qualquer lugar público está sujeito a ponto de prostituição, pelo que sei, até o momento as prostitutas gozam do direito constitucional de ir e vim, podendo até marcar ponto defronte a nossa casa…! Então, num espaço público como uma praça onde funciona uma feira, é muito provável que isso aconteça, pois, isso é problema social e não de um evento cultural, como é nossa feirinha… A propósito, se você sair da feirinha e seguir mais adiante na Conselheiro Aguiar, 500 a 600 metros, encontra-se-á serviços bem variados oferecidos por profissionais tambem bem variados na localidade… Elas estão por alí… kkkkkkk. Se o turista quer ver beleza, vai depender do tipo de beleza que ele quer ver, ora, se for belezas artísticas, as feiras de artesanato e artes, museus, galeria de artes e outras mais, podem ser procurados. Mas, concordo com você em dizer que a feira precisa ser cuidada, estruturada, assistida. Mas, isso, noventa por cento é compromisso da prefeitura, então, quando postares algo aqui no teu blog, faça-o cobrando da prefeitura, pois, nós artista e artesãos temos tido muitas lutas com os governos municipal para atender a tudo isso que você criticou sobre nossa feirinha. Nós artista e artesãos estamos apenas propondo cultura a quem nos procura. Abraço Camila.

  6. Olá Camila, tudo bem?
    Primeiramente quero parabenizá-la pelo blog e especialmente pelo post. Este é um sentimento que compartilho (pelo menos em grande parte) e que me remete a algumas reflexões:
    Infelizmente muitas pessoas acabam acreditando que o artesanato pernambucano se resume a camisetas, sapatos e outros “trecos” (que existem na Bahia, no Ceará, no Rio…);
    A falta de investimento no artesão por parte do poder público, desestimula o trabalho manual criativo e o leva a comprar e revender “cacarecos” (imãs, chaveiros, etc), reproduzindo o status quo do subemprego;
    Esta realidade se repete em outros locais de Recife e região metropolitana, um destes locais é o Alto da Sé em Olinda. Ali o artesanato sobrevive graças à resistência de alguns poucos artesãos que ainda acreditam em seu trabalho.
    Gostaria de sugerir, se não for muito atrevimento, uma visita à Feira de Artesanato da Sé em Olinda para ouvir o depoimento de alguns feirantes.
    Obrigado pela atenção e novamente, parabéns!

    • Hugo,

      Que bom que algumas pessoas conseguem entender o que digo, você não avalia o conforto que é ter leitores que compreendem a mensagem (e sei que tenho muitos). Creio que deveria sim haver algum tipo de investimento nos artesãos (os que são artesãos de verdade) e criação de atrativos reais para o turista, que façam valer a pena uma visita à feirinha.

      Estive só algumas vezes na Sé, não posso falar com propriedade. Mas a estória parece se repetir, por exemplo, em Fortaleza. Não vou afirmar porque lá estive somente 1 vez.

      Me parece que o investimento foi todo pro pólo de artesanato criado no Recife Antigo e os poucos artesãos que restam nas feirinhas mais antigas ficam renegados. É triste…

      A oportunidade é dada aos que já tem certo renome e prestígio e os outros ficam sem incentivo.

      Obrigada pelas suas considerações. Foram relevantes pra gente pensar como o Poder Público age em relação à classe.

  7. Olha, não é o lugar mais lindo mesmo, mas tem história sim, lembro da feirinha desde quando tinha 4 anos, isto foi a quase 4 décadas. Tem a igreja ali, do século 18. Lembro da praia com um faixa de areia enorme, o mar está levando tudo. Dos pastéis japoneses, “do único lugar para tomar caldo-de-cana”, de aviões imensos de papel, ali já teve até parque de diversões. Lembro da gente pulando corda com uma planta que tirávamos da areia, pai e mãe, vizinhos, brincávamos de ciranda… Até metade dos anos 80 tinham alguns restaurantes bons por ali, uma pizzaria excepcional que dava quase de frente, as pessoas marcavam de se encontrar lá com a criançada, saudades… Depois nos anos 90, quanta tristeza, aqueles turistas todos, prostituição, ninguém ia mais lá. Quanta gente ficou com raiva dos turistas, principalmente os estrangeiros, Recife caiu fundo no poço naquele período, má administração, turismo sexual para todo mundo ver. Depois um dia alguém disse “a feirinha voltou”, como foi bom saber. Reformaram e reformaram de novo, não com o mesmo brilho, aquele charme sabe, foi-se, mas “é a feirinha!” Sinceramente, talvez muitos sintam assim, hoje nem me importo muito se o turista gosta ou não da feirinha. Estou feliz que a feirinha ainda existe e ponto. A cidade é grande. Pelo turismo sem método quase se destruiu um marco da simplicidade, da infância de muita gente, como foi bom ter um pedaço da nossa feirinha de volta.

    • Lucy,

      Achei seu relato da feirinha tão lindo! De alguma forma me teletransportei para essa feirinha da sua infância que você descreveu e me pareceu um lugar tão agradável!

      Gostaria de te dizer que eu não sou contra a feirinha. Sou contra essa “forçação” de barra dela ser um lugar turístico. Talvez se ela fosse hoje o que era na sua infância, acho que a recomendaria pros turistas. Seria um lugar que remeteria à inocência, às coisas simples da vida.

      E em nome da sua memória e de todos que puderam desfrutar dessa feirinha que você descreveu, também compartilho da sua alegria de ter uma feirinha (mesmo que não seja aquela de antes) de volta pro recifense.

      Obrigada pelo seu relato, achei lindo! Adorei conhecer essa estória da feirinha!
      Um beijo!

  8. Moro em Boa viagem e frequento bastante a feirinha, e digo tem muito artesato sim, tem comida típica etc… teve uma época q ficava sem feira durante uns dias, a prefeitura alegava q era para o povo de BV poder usar a praça, maior piada ninguém ia pra lá a praça ficava as moscas sem a feira tinha prostituição na praça assalto e mendigos dormindo nos bancos, qnd a feira voltava dava gosto de descer com a familia pra lá tinha turistas gente de todo lugar atistas de rua comidas gostosas etc… oq falta na feira é culpa da prefeitura q ta pouco se lixando p feira n investe n culda fiscaliza para acabar com esse coisas errdas q vc citou, é uma pena q feira teja abandonada pela ptefeitura pois sem ela n dar nem vontade de ir para aquela praça mal iluminada e sem srgurança alguma.

    • João, concordo contigo que o Poder Público tem de intervir e criar atrativos pra feirinha. É um espaço que tem potencial e, se bem estruturada, ela pode ser parada obrigatória com louvor!

      Obrigada pela sua contribuição com as suas impressões aqui pra gente. 🙂

  9. Camila,
    Primeiramente, belo texto. Parabéns pela clareza e objetividade ao colocar suas ideias.
    Vou a Recife em janeiro e, como vou ficar em um hotel na praia de Boa Viagem, vou à feirinha até para dar uma volta e sentir a brisa do mar. Inclusive estamos planejando jantar no restaurante que você indicou. Quando voltar, lhe digo o que achei.
    Beijos
    Leila D’Angelo

    • Oi, Leila!

      Que bom que o post te ajudou com mais informações para planejar sua viagem. Vou adorar saber sua opinião da feirinha e da cidade como um todo. Está convidadíssima a voltar aqui pra contar o que achou de Recife. 😀
      Um beijo e boa viagem!!!

  10. Moro em Recife e costumo frequentar lugares turísticos, a feirinha não tem nada de extraordinário realmente, mais se tratando de ser localizada em um bairro como boa viagem onde falta locais democráticos e populares com peças artesanais e variedade na culinária regional acho que faz dela ter mais pontos positivos que negativos, sem contar que o turista se sente bem por ter peças lindas artesanais (principalmente em prata que sou fissurado), e comer uma tapioca recebendo a brisa do mar faz a praça ser um passeio ou visita proveitosa..
    abração

    • Oi, Ewerton!

      Olha, você me fez repensar minhas opiniões. Realmente em Boa Viagem, uma dos bairros mais procurados por turistas e onde eles geralmente se hospedam, não há muitas opções. Só há a praia. A região carece de mais atrativos e nesse contexto a feirinha pode ser algo positivo.

      Obrigada pela visita e pela contribuição.
      Abraços!

  11. estou indo esta semana a Recife, levo minha familia e ficaremos em um hotel próximo a feirinha… pretendo conhece-la e acho válido o seu ponto de vista sobre o local, é mais sensato! melhor do que aqueles comentários que elogiam, elogiam e depois decepcionam.
    Valeu!

    • Dean,
      Muito feliz com o teu comentário, viu? Ainda bem que há pessoas que entendem o que a gente quer dizer. 🙂

      Sinceramente espero que a Feirinha te surpreenda positivamente. E outros lugares daqui também. Abraços e boa viagem!!!

    • Joana,

      Concordo que nada é perfeito e nem totalmente ruim. Na minha visão há mais pontos negativos do que positivos na feirinha. As pessoas criam uma expectativa que é algo maravilhoso e, eu pelo menos, não vejo assim.

      Mas o bom seria você dizer porque acha o lugar bom para as pessoas que forem conhecer ter mais visões do lugar. 🙂

    • Oi, Telma.

      Acho que dessa vez não vou poder ajudar, infelizmente. Não sei onde encontrar enxoval. Mas se você quer bordadeira eu recomendo que você vá à Casa da Cultura, onde tem artesanato. Pode ser que lá anguém te indique uma bordadeira ou as peças sejam vendidas lá mesmo.

      Abraço.

  12. Camila, achei o post ótimo! A indignada dos comentários deve ser a dona da banquinha da camiseta! Aliás, achei nada a ver a tal camiseta, humor negro infeliz…fui a Recife e Olinda e, por sorte, não fui na tal feira!
    Bjokas, Claudia @pequenoviajante

    • Claudia,

      É bem possível que seja alguém da própria feirinha, viu? As pessoas não conseguem entender o que é visão crítica e ataque, invasão.
      Da próxima vez que vier descolo outras dicas de lugares massa pra você.
      Um cheiro sabor tapioca!

  13. Camila, eu gostei da feirinha e nao sou de recife, discordo de voce quando diz que não é bom para turista pois no meu caso, passeei pela orla no fim da tarde, terminei a caminhada na feirinha onde realmente nao tem muita novidade, igual a varias outras, mas comprei alguns ímãs e por fim comi uma ótima tapioca! Também achei a igrejinha linda! Vc deve ser acostumada com ela, mas turista nao ta nem aí, adora uma feirinha mesmo que tenha as mesmas coisas de sua cidade. Bjs

    • Oi Adriana!!!

      Que bom que foi válida pra você a ida à feirinha e que você compartilhou sua experiência aqui comigo e com os leitores. As tapiocas realmente são boas, quando vou à feirinha é para comê-las.

      Acho que você deve ter razão quando diz que tem um pouco do hábito de conhecer o lugar. Como a vejo sempre talvez não me encante mais. Mas isso não acontece com outros lugares da minha cidade. Aí acho que pode ter um pouco disso, mas há também outros fatores que me fazem não recomendá-la para turistas.

      Enfim, a polêmica da feirinha continua…

      Obrigada pelas suas impressões e pela visita ao ao blog.

      Um beijo!

  14. Frequento a feirinha a muito tempo, e acho um lugar otimo pra passeio, principalment para turistas. Discordo totalmente das suas palavras, que foram na minha opiniao, infelizes.

    • Oi, Caroline!
      Eu também frequento o lugar eventualmente, como disse lá no texto. A minha opinião é que, para turistas, não é o lugar mais legal para visitar pelos motivos que coloquei. Mas é a minha opinião. Que bom que vivemos numa democracia e cada um pode expor seu ponto de vista. Eu expus o meu lá no texto e você aqui nos comentários. Cada pessoa que ler o texto pode ter os 2 pontos de vista e tirar suas conclusões. Isso que é o legal.
      Obrigada pelo comentário e por expor sua opinião. Ela torna o espaço desse blog ainda mais rico.

Que tal deixar sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s