Piranhas dos cânions e cangaço.

Sabe quando você está numa estrada que vai continente à dentro? Ela vai, e vai, e vai… E você vê a paisagem mudar. Saímos do litoral, cheio de árvores verdinhas e frondosas e fomos vendo os cajueiros, as mangueiras e o verdinho dos pastos sumindo e dando lugar ao sertão com seus mandacarus, capim seco e árvores mirradinhas.

Quando já tínhamos andado um monte e confirmado que, definitivamente, estávamos perdidos eis que chegamos! Lá, no meio do sertão, surge uma cidadezinha que surpreende pelo seu colorido – o das casas e do rio verde cor de esmeralda, Piranhas.

Piranhas

O prédio da antiga estação de trem e o verde do rio ao fundo anunciam – Piranhas é lugar de viajar de volta no tempo.

Piranhas é uma das últimas cidades da rota Caminhos do Imperador. Nossa viagem de 4 dias nos passos desse caminho percorrido por Dom Pedro II começou lá em Penedo, a uns 260 km dali. Passamos por:

Piaçabuçu e suas dunas na foz do rio São Francisco e

Penedo com seu Museu do Paço Imperial e casario preservado. 

Penedo, a jóia do Velho Chico

Piranhas

Aqui na placa dá para visualizar todas as cidades da rota Caminhos do Imperador. Batemos ponto em 3 delas: Piaçabuçu, Penedo e Piranhas. Foto: naViagemcomCamila.

Atenção: acho que vou estrear a sessão aqui no blog: “HERRAR É UMANO”. Eu errei, então aprenda com meu erro e não erre.

Nós planejamos essa ida à Piranhas um bate-volta. Olhe, foi chão, viu? Não recomendo pra ninguém! Então NÃO faça como eu. Se a sua viagem, assim como a que sugeri, durar 4 dias, passe 2 em Penedo, aí você curte Piaçabuçu e Penedo e segue caminho para Piranhas, passando mais 2 dias lá, mas não faça essa loucura de ir e voltar no mesmo dia! Por 2 simples motivos:

– É longe! E a estrada tem trechos ruins, com muitos buracos. São 260 km que não dá para desenvolver uma velocidade muito alta, então leva, por baixo, umas 3 horas.

– Piranhas tem váááárias atrações legais. 1 dia para conhecê-la é pouco!

A cidade de Piranhas

O colorido de Piranhas. Foto: naViagemcomCamila.

O colorido de Piranhas. Foto: naViagemcomCamila.

Para chegarmos ao centro histórico da cidade é necessário passar por um portal que parece ser uma máquina do tempo: viagem de volta aos anos 30 numa cidade de interior.

piranhas

O portal da entrada da cidade que leva a gente de volta ao passado. Foto: naViagemcomCamila.

Piranhas ficou famosa por uma escadaria – a que expôs as cabeças do grupo de cangaceiros liderado por Lampião. Inclusive sua cabeça e de maria Bonita ficaram lá expostas. A cidade tem essa ligação forte com o cangaço e o sertão.

As casinhas juntinhas, todas coloridas são um charme. Lá embaixo, ao fundo está o rio de verde esmeralda, o Velho Chico. Com prédios antigos relacionados aos caminhos do imperador e ao cangaço e passeios pelo São Francisco Piranhas reúne aventura, água e uma pitada de história no meio do sertão.

A cidade manteve intacta sua antiga estação de trem, onde hoje funciona o Museu do Sertão. Alguns o chamam de Museu do Cangaço. Ele retrata a vida do sertanejo com objetos que fazem parte de seu cotidiano, artigos de pesca e religiosos. O museu também tem uma série de peças dedicadas à contar a historia do cangaço e de Lampião e daí vem o outro apelido do Museu.

museu sertão piranhas

O Museu do Sertão no prédio cheio de detalhes da antiga estação de trens da cidade. Foto: naViagemcomCamila

piranhas

A Torre que me conquistou! Foto: naViagemcomCamila.

Não deu tempo de visitar, mas parece ser uma das atrações imperdíveis do lugar. Bem na frente da estação fica um lugar que me apaixonou: o Café da Torre. A torre era o local de dormida do antigo maquinista e lááá no topo fica um charmoso café e uma linda vista da cidade com o rio ao fundo.

No quesito passeios e aventura pelo São Francisco há 2 opções: passeio até os cânions do lago artificial do rio e a rota do cangaço.

Não dava tempo de fazer os 2. Tivemos de escolher. Eu, se pudesse faria os 2, mas se você, como eu, não tiver muito tempo vou contar as explicações que a guia me deu sobre os 2 passeios para você escolher.

  • Passeio de catamarã até os cânions do rio – é um passeio mais de natureza e contemplação. Dura umas 4 horas e dessas horas 1 seria num restaurante base e 2 de navegação a outra hora para um banho nos cânions.  É mais tranquilinho e para relaxar navegando no barco e curtindo a paisagem.

Informações práticas:

Valor do passeio com o barco R$ 50,00

  • Rota do cangaço – dura aproximadamente o mesmo tempo e é mais agitado, digamos assim. Saindo rio abaixo o passeio dá uma passada pelo povoado de Entremontes e segue para Angico com uma trilha até o local onde o bando de Lampião foi pego e ele morto.

Informações práticas:

Valor do passeio com o barco R$ 50,00

Valor do passeio de voadeira: R$ 60,00 (120,00 o casal, é o mínimo para o passeio sair).

No próximo post conto tudinho do passeio que eu escolhi. Curioso?! É só ficar ligado que no próximo post conto tudinho. 

Anúncios

4 Respostas para “Piranhas dos cânions e cangaço.

  1. Pingback: Guia de comidas em Penedo | naViagemcomCamila·

  2. Pingback: Piranhas e a Rota do Cangaço. | naViagemcomCamila·

Que tal deixar sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s