Para Recife com amor.

2013 foi o ano de mudanças em minha vida. Mudei a mim mesma, mudei de emprego, mudei muito!!! E uma dessas mudanças foi de cidade, país, continente. Vim parar na França, mais exatamente em Paris. Uooou!

Uns dias antes de embarcar fui ao Recife Antigo (um dos meus lugares favoritos na cidade) e olhei tudo aquilo lá. Sofri por antecipação de saudades de tudo que não iria ter em Paris. E a saudade é danada, porque ela não escolhe só as coisas que gosto. Me deu saudade antecipada de tudo, até do que não curto. É o trânsito caótico, o calorão, a muvuca, cuscuz… É fogo, viu?

A Rua do Bom Jesus e seu colorido no Recife Antigo. Foto: naViagemcomCamila.

A Rua do Bom Jesus e seu colorido no Recife Antigo. Foto: naViagemcomCamila.

Naquela ocasião fiquei olhando aqueles prédios altos, gigantes, lindos! E me veio Paris à mente… Eu pensava:

– Lá você vai ter tudo isso e mais um pouco, Camila. Lá é que tem esses prédios ‘velharia’ que tu adora. – me dizia eu quase que me consolando.

E agora lá estou eu aqui em Paris! Moro no meio do “buchicho”, todo dia topo com a Notre Dame, dou uns passos e vou caminhar no Jardim de Luxemburgo. Uma vida dificílima, como vocês podem avaliar! 😛

Paris é linda, muito mais bem preservada que Recife, cheia de História com H maiúsculo. Piro nisso! Pensar que estou no lugar que Napoleão esteve, que aqueles prédios estão ali há muito mais que os 5 séculos que o Brasil tem, que ali já esteve a Idade Média com seus castelos… Nossa, tudo isso é surreal e me enche os olhos.

Lembro que um dos lugares que mais queria ver era a Bastilha (o local onde ela um dia existiu, na verdade). Quando cheguei na praça e vi aquela imensidão achei tudo lindo! Ver, sentir de perto lugares que eu estudava e ficava imaginando as pessoas, os acontecimentos é muito massa. E não vi nem 20% do que queria ver. Minha vibe são definitivamente lugares históricos, com prédios antigos, com acontecimentos importantes.

vista casa de banhos

A vista da casa de Banhos em Recife. Espetacular, né não?! Foto: naViagemcomCamila.

Paris tem tudo isso e um pouco mais! Ou seja, estou no lugar perfeito. Camila e Paris, feitas uma para a outra. Tem nem como comparar com a minha cidade, coitadinha…

Um  dos 'detalhes' que mais gosto na ponte: os lampiões!!! Amo de paixão! Foto: naViagemcomCamila.

Um dos ‘detalhes’ que mais gosto na Ponte Velha: os lampiões!!! Amo de paixão! Foto: naViagemcomCamila.

Recife não tem Quartier Latin, tem a Boa Vista, meu bairro do coração, cheio das casas antigas caindo aos pedaços. E cada vez que cai mais uma pra fazer um prédio ou casa modernoso eu desmorono um pouco. Tadinha de Recife sem a Place Concorde e seu Obelisco lindo! Aqui só tem o Recife Antigo tem os carnavais que sempre brinquei, cada ruela que conheço com a palma da minha mão. A Dantas Barreto onde meu pai tinha a farmácia e nós uma vez fomos ver o Galo da Madrugada passar.

Champs Elyseés nem pensar! No máximo a Conselheiro Aguiar que quase enlouquece a gente com um bando de carros estacionando e parando o JÁ PARADO trânsito recifense. Mas quem é daqui mesmo sempre tira um dia para ir é lá na Rua das Calçadas, ali no Cais de Santa Rita mesmo, no ‘centrão’. Ali é pros fortes, mermão! Mas quem abre mão de uma pechincha? O bom é ir ali e dizer pra todo mundo que achou uma lojinha que vende biquine barato e tentar explicar (sem sucesso) como chega lá. Mas deixa falar: o que bomba em Recife mesmo são os shoppings! Eles são as nossas ruas de compras.

Ópera Garnier?! Tem não, mas tem o Teatro do Parque, ali na rua do Hospício, cheio de ambulante ao redor, de fedor, de gente circulando… Aí você vê aquela lindezinha no meio daquela loucura.

casario apipucos recife

Casario de Apipucos: parece que a gente entrou na máquina do tempo e voltou uns séculos, né?! Foto: naViagemcomCamila.

Teve um dia achei de me meter na Rua da Palma. É famosa aqui em Recife, mas nunca tinha ido. Lá no centro, cheia de ambulante, de loja de eletrodoméstico, de caldo de cana, de carrinho de cd… Pense! (como se diz em “pernambuquês”). E no meio daquela confusão estava os fundos da Igreja da Dantas Barreto. Ali, no meio daquele cenário fedorento e caótico, naquele fundo de Igreja estava uma escultura ruindo, mas ainda uma linda escultura de Nossa Senhora com Jesus. Num beco, perdida e abandonada no meio do comércio desordenado de rua e quase imperceptível para o recifense que não tem olhos para vê-la.

A rua da Aurora e seu casario antigo. Um charme, né? Foto: naViagemcomCamila.

A rua da Aurora e seu casario antigo. Um charme, né? Foto: naViagemcomCamila.

É, Recife é assim… Recife é um paradoxo, uma doideira total. Tem uma pegada alternativa, cultural, mas tem também os playboyzinhos. Tem um restaurante japonês à cada esquina, mas em casa se come mesmo é macaxeira, cuscuz e sopa no jantar. Ergue todo dia novos prédios imitando estilo megalópole desenvolvida, enquanto entrega às baratas os lindos prédios de estilo clássico. Cheia de belezas sutis, de cantinhos maravilhosos e com um poder público e população que não treinou o olhar para ver as belezas que a cidade guarda. Recife é mote pra teorias antropológicas, culinárias e intergaláticas. Tem que ser que nem Reginaldo Rossi (O Nosso Rei!) dizia:

“Ei, vem cá que eu quero te mostrar, 

A minha cidade, o meu lugar…”

Só indo lá pra entender o que é Recife!

Aí volto à pergunta de antes: tem como comparar Recife com Paris?!

Tem mesmo não… Porque Paris é o sonho de beleza, de arte, de luxo. Mas Recife é a cidade que testemunhou toda minha vida. É lá, em cada cantinho (fedorento, sujo, escondido), que está minha estória.  Lá estão meus amores, as ruas que me levaram para tantos momentos importantes da minha vida, as praças onde eu passeei, os caldinhos de feijão na praia que estavam acompanhados das amigas, o começo da minha vida profissional, meus carnavais. Minha identidade está misturada com a vida própria que tem a cidade. E aí já nem sei mais onde termina Recife e começo eu mesma…

E creio que seja assim com quase todos nós. O melhor lugar do mundo é onde está escrita nossa estória. E até esse ponto da minha vida, a minha estória (apesar de ter morado em outras cidades) está em Recife.

O rio e a música de Reginaldo Rossi sobre Recife. Foto: naViagemcomCamila.

O rio e a música de Reginaldo Rossi sobre Recife. Foto: naViagemcomCamila.

Parabéns, Recife! Que venham mais e mais anos pra você, sua linda! 

Anúncios

9 Respostas para “Para Recife com amor.

  1. Pingback: Viva os 2 anos do blog! | naViagemcomCamila·

Que tal deixar sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s