Primeira viagem pra Europa?! 7 respostas pras perguntas que você está se fazendo.

Você é mais um dos brasileiros que tá de boa na vida e quer realizar o sonho de passar umas férias na Europa?
Você só viajou até agora pro Estado vizinho e acha que esse negócio de Europa é meio complicado?
Você não sabe onde quer ir e nem por onde começar?

ESSE POST É PRA VOCÊ!

Aqui você encontra dicas gerais pra te ajudar a se situar e começar o planejamento do seu sonho. No que pensar, quanto se gasta, onde se fica, o que se come… Vou responder as perguntas básicas que todo marinheiro de primeira viagem costuma se fazer.

Vem comigo, pega minha mão e vamos por essa viagem no papel!

– Que cidades visitar?

Muuuito relativo. Tem cidades que as pessoas adoram e vão te recomendar, mas creio que o ideal é seguir o seu coração. Eu me arrependi quando todos me disseram que “Londres não precisa tanto tempo assim”. Pra mim tinha muuuitas coisas para ver porque eu amo a cidade e tinha muitas referências de coisas que gostaria de visitar. Então meu conselho é: se pergunte que coisas quer ver e organize sua viagem de acordo com seu gosto.

– Ah, eu quero subir na Torre Eiffel! Então venha à Paris
– Sempre quis comer uma paella! Vá à Espanha.

A viagem é sua, aproprie-se dela!

Agora se você me pedir sugestão de cidades eu te diria para ver uma certa variedade de cidades. Até pra você se surpreender com coisas diferentes.

Vai passar 15 dias? Veja umas 5 a 6 cidades.

Vai passar 20? Veja umas 8 a 10 cidades.

E sem querer puxar a sardinha pro meu lado, mas já puxando: inclua Paris no seu roteiro se possível! Principalmente se for a sua 1ª vinda.

– Quanto tempo ficar?

Veja só, amigão: você comprou uma passagem cara (por que elas são tão caras, hein?), cruzou o Atlântico numas 12 horas de viagem, na melhor das hipóteses pra sua primeiríssima viagem ao Velho Mundo. Você não vai me voltar em 7 dias, né? Faça valer seu esforço financeiro, físico e emocional: venha pra ficar, pelo menos, uns 15 dias. Se for a sua 2ª, 3ª milésima vez, aí você faz um bate-volta.

– E o faz-me-rir de uma viagem dessas ($$$$$$$$$$$$$$$$)?

Exterior não é mais sinônimo de 'gastança'. Foto: naViagemcomCamila.

Exterior não é mais sinônimo de ‘gastança’. Foto: naViagemcomCamila.

Não espere fórmulas mágicas ou que eu vá te dar um valor exato. Eu sei, eu sei que isso era tuuudo que você queria pra se decidir e bater o martelo: Europa, aí vou eu!

É muito difícil dizer um valor. Ele varia muito. Mas como todo marinheiro de primeira viagem é louco por um “valor-base”, um “assim por cima, quanto foi”, vou dar um:

Em 2012, minha primeira vinda à Europa, gastei R$ 6.500, para:

  • 1 pessoa
  • 14 dias de viagem
  • 4 cidades (Londres, Paris, Brugge e Amsterdam)
  • comendo um mix de lanches no almoço intercalados com alguns poucos dias de comida de verdade.
  • hospedagem em hotel simples e não-tão-bem localizado (nada de albergue, embora eu adooore, meu noivo não curtchiii)

Podia sair mais barato? Podia! Também podia sair mais caro. Tudo relativo. Londres e sua libra esterlina engordaram o valor da viagem. Paris também estava no roteiro e não é das cidades mais baratas, peguei avião e trem…

Enfim, é um valor para você se basear, mas lembrando que ele é de 2012, tá?

Já falei sobre custos de viagem aqui também: Mito do dia: viajar pro exterior é sempre mais caro!

Regra de ouro: sonhos não tem preço!

Depois que você descobre quanto custa, no mínimo, uma viagem dessas (não tô querendo dizer que o valor É esse daí de cima, pode ser outro), é hora de definir quanto você vai investir nela. Qual o seu teto de custos.

Ele pode ser o mesmo valor do mínimo (pra você que não tá nadando em dinheiro) ou pode ser maior que o mínimo (o que todo mundo sonha!). Aí você diz pra si mesmo quantos mil reais pode gastar. Pronto, esse é o seu orçamento!

Orçamento definido, tenha sempre em mente: nem sempre economizar teu dinheiro vai ser a melhor opção. Sou contra isso de economizar a todo e qualquer custo. Acho que a viagem ideal é aquela em que você consegue fazer o que é prioridade pra você, o que é o teu sonho. E o que é prioridade não tem preço, você vai pagar quanto for. Já o que não é prioridade, você pode economizar tranquilamente.

Por exemplo: eu tinha um sonho desde os meus 14 anos de conhecer Londres. Na minha primeira oportunidade de vir à Europa, não ia deixar de fora meu sonho. Eu podia dormir no metrô em Paris, mas eu ia gastar uma parte (considerável) do meu dinheiro, indo à Londres. Custasse o quanto custasse (dentro do meu orçamento pré-definido, claro).

Outro exemplo: você sonha em conhecer o Moulin Rouge (já falei dele aqui no blog). Atualmente, está na casa de 120 euros (o ingresso mais barato). Acho que quase todos nós (ricos e pobres) concordamos que é um valor alto para uma atração. Mas você vai deixar de ir, se é teu sonho, porque custa uns 400 reais?! Você come baguete de almoço e jantar 3 dias seguidos, amigão, mas você vai realizar o seu sonho! Nada de pirangagem pros nossos sonhos, viu?

– Onde ficar (hospedagem)?

As cidades europeias costumam ser muito bem servidas de transporte público. Então, assim, se a verba não é tão grande, não fique estressado de ficar um pouco longe dos pontos turísticos. Em Londres, onde a hospedagem é bem salgada (e ainda por cima em libras), optei por ficar mais longe da “cidade turística” e economizar com hotel. Mas escolhi um pertinho de estação de metrô. Pronto! Foi barato e em 10 minutos estávamos eu e meu noivo vendo tudo lá no centro da cidade.

Se você vai de excursão, a probabilidade de ficar, inclusive, fora da cidade é grande. Eles fecham pacotes com hotéis maiores, que acomodam mais pessoas, e ficam mais em conta. Como você está geralmente com o ônibus da excursão, você nem nota porque não precisa se preocupar com a locomoção, mas está bem distante dos pontos turísticos.

hotel londres

Nosso hotel em Londres, bem no meio do nada. Mas super baratinho e pertíssimo de uma estação de metrô. 😉 Foto: naViagemcomCamila.

Então minha dica pra você escolher seu hotel é: veja se ele está numa rota bem servida de meios de transporte! Seja metrô, ônibus ou, (melhor ainda!) à pé, o importante é chegar facilmente nos locais de seu interesse.

O hotel 5 estrelas com vista pra Torre Eiffel você pode deixar pra uma outra vez, afinal, você veio conhecer a Europa e não hotéis. 😉

– Sim, e como danado é que vou me virar com meu inglês marromenos ou zero?

Esse é um tópico tãããão importante que já escrevi sobre ele aqui no blog: dá pra ir sem excursão, de verdade! Aqui eu explico como: sem falar inglês só dá pra ir de excursão?! 5 dicas básicas pra se virar em inglês.

Agora se você quer vir de excursão porque acha mais confortável, não sabe bem o que ver, também é válido. Você pode usar essas dicas aqui pra escolher seu pacote.

– Comida?

O gasto com comida costuma ser a 3ª coisa mais cara da viagem: primeiro é a passagem, depois a estadia e aí vem a comida. Se você vem no esquema da economia vai ter de abrir mão de algumas coisas. Uma delas, que faz uma diferença grande no bolso é a comida. Para o bem-estar do seu bolsinho o ideal é: escolher 1 refeição do dia para se alimentar de verdade.  Nas outras: é lanche, negão!

E eu, preciso economizar?

“Bateu a fome, entro no primeiro restaurante que aparece. Tenho de ter quanto na carteira pra pagar a refeição?” Se você não sabe se precisa economizar com comida (acontece muito com os visitantes do Velho Mundo de primeira viagem), vou dar um outro “valor-base” pra você ver se cabe no seu bolso fazer refeições completas:

 Uma refeição completa custa, em média, 25 euros em Paris (que dizem ser uma das capitais mais caras).

(Isso é um valor pra você pensar se pode almoçar e jantar em restaurante todos os dias da viagem. Tipo assim, sem se preocupar em ficar andando pra ver se tem mais barato, entende? Claaaro que tem mais barato se souber procurar, e também que tem mais caro.)

Se você tem essa grana vá pro próximo ponto direto! 😉 Se não está dentro das suas possibilidades 25 euros de refeição, venha cá descobrir como é possível economizar.

Na base da economia

Muita gente escolhe lanchar no almoço e deixar pra jantar um pouquinho melhor. Em Paris, especificamente, eu acho mais vantagem almoçar bem e jantar lanche (porque se você vai num restaurante os almoços costumam ser mais baratos que os jantares, isso mesmo: no mesmíssimo restaurante!). Se você vai de fast-food, aí não faz diferença.

Então, quais as possibilidades de economizar com comida?

  1. Se não está incluso no seu pacote, não compre aquele café-da-manhã do hotel. Aqui em Paris ele costuma custar entre 8 e 10 euros. Com 8 euros você compra uns 3 cafés-da-manhã em um outro lugar. Por falar nesse outro lugar…
  2. Seu melhor amigo: o mercado! Dê um pulinho lá, não vai se arrepender! Você pode comprar itens de café-da-manhã e outras ‘cositas’ pra lanches ao longo do dia, seja pra substituir o almoço ou jantar.
  3. Escolha: ou almoça ou janta decentemente. Os 2 te tomam tempo e dinheiro. Você escolhe um dos 2 pra se alimentar melhor e no outro vá de fast-food ou daqueles lanchinhos que comprou no amigo-mercado, lembra?
  4. A polêmica água de torneira te salva! Quaaando você vai no mercado você compra água mineral, coloca na sua mochila e pronto. Nos restaurantes, você vai de água gratuita que eles te dão, aquela da torneira mesmo, você vai economizar bastante na hora da conta.
  5. Fast-food sempre será fast-food! Com o bom e ruim que isso envolve. Só no Brasil (creio eu) que um BigMac custa quase a mesma coisa que uma refeição, gente. Aqui eles sempre serão mais em conta que um restaurante. Então, viu um fast-food: saiba que lá tem comida barata.

Pra outras dicas de alimentação, vê meu post sobre a comida francesa: Mito do dia: comida francesa é pra passar fome.

Bem, essas são algumas possibilidades pra você economizar. Você pode combinar todas elas ou fazer escolhas aqui e acolá.

– Como se locomover entre países pela Europa?

Existem 2 meios de locomoção principais: avião e trens rápidos. Se você me pergunta qual é melhor para você eu te digo que essa pergunta tem 2 respostas. Isso porque, aí entram na jogada 2 dos seus bens mais preciosos: tempo e dinheiro.

trem europa

Trem ou avião? Depende, amigão! Aqui, Paris- Amsterdam porque eu não podia perder muito tempo com avião. Foto: naViagemcomCamila.

O avião geralmente é mais barato. Maaas, ele consome mais do teu tempo. Imagina ir pro aeroporto (geralmente longe da cidade), check-in, salão de embarque, espera pelas malas na esteira… Enfim, demora beem mais. Já os trens rápidos costumam ter estações dentro das cidades, não tem isso de chegar 1, 2 horas antes do embarque. Sua bagagem vai contigo. Só que (nada na vida é perfeito) eles tendem a ser mais caros.

Aí a escolha vai depender de qual é o bem mais precioso naquele momento da viagem. Acho que o ideal é um balanço entre os 2. Exemplo: se você só vai passar 1 dia na cidade, o tempo de deslocamento até lá é mais precioso e vale investir no tíquete de trem. Se você tem mais dias na cidade, vai de avião.

E uma dica de amiga: evite viagens nos últimos dias 2 dias antes de voltar pro Brasil, já passei um perrengue danado que contei aqui.

– “Quem converte não se diverte” já dizia a sabedoria popular.

 O euro está pela hora da morte. Sempre vai estar! Meu conselho pra você é: não fique convertendo o danado do dinheiro a cada compra!

Faz assim, amigão: quanto é uma média por dia que gastarei lá? Diante desse número, multiplique pela quantidade de dias. Vá na casa de câmbio, tenha o maior desgosto da sua vida (sabe quando você chega sai triste?! É bem assim!), compre o dinheiro (sofra!) e pronto! Morreu o assunto de “quantos reais custa 1 euro?”.

Nada de chegar e ficar pensando: nossa, essa garrafinha de água mineral me custa 9 reais! Você já sofreu quando trocou o danado do dinheiro, não foi? Pra quê sofrer 2 vezes, me diga mesmo?!

O raciocínio mais inteligente (e que não faz você ficar se estressando na sua primeiríssima viagem) é:

Eu tenho 20, 30, 100 euros (seja lá quanto você estipulou) pra gastar hoje. Como vou gastar? Se eu separei 100 euros pra gastar, 5 numa coca, pode tá de bom tamanho! Se sobrou de ontem: melhor ainda, hoje posso me dar ao luxo de fazer algo a mais!

libra esterlina

Se eu fosse converter cada libra que gastava, tava lascada da Silva, viu? Foto: naViagemcomCamila.

Essa parte do dinheiro tem de ser uma preocupação prévia sua (faça as contas, refaça, aperte aqui e acolá, faça toda a ginástica financeira), não na hora da viagem! Hora da viagem é hora de se divertir. Pense que o dinheiro já saiu da sua poupança e está ao seu serviço, pra te proporcionar momentos de felicidade. Como eu digo pra uma amiga:

“dinheiro guardado é felicidade esperando pra acontecer”

Espero ter ajudado você a saber por onde começar a preparar sua  primeira viagem.  Faltou algo? Ficou com dúvida em algum ponto? Escreve pra mim aqui nos comentários.

😉

Anúncios

2 Respostas para “Primeira viagem pra Europa?! 7 respostas pras perguntas que você está se fazendo.

Que tal deixar sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s